Qual a melhor época para plantar Mogno Africano?

UAL A MELHOR EPOCA PARA PLANTAR MOGNO AFRICANO

Época para plantar Mogno Africano

Assim como outras espécies de árvores, o reflorestamento com Mogno Africano deve ser planejado e a época do plantio é um dos pontos para se atentar. Separamos neste artigo algumas recomendações sobre a melhor época para plantar o Mogno Africano.

Alta pluviometria: Melhor época para plantar mogno africano

Você pode fazer o plantio do Mogno Africano em diversas épocas do ano, porém o período mais indicado é a estação que apresenta o maior índice de chuvas no ano. Isso porque a muda ainda é pequena e não possui raízes longas para buscar nutrientes na terra, necessitando de água constante para facilitar essa captura.

Essa fase em que a muda está se enraizando no solo é chamada de “pegamento”, ela é uma das fases mais importantes para se obter um plantio de sucesso. A água colabora diretamente para a movimentação dos minerais presentes no solo e também para o crescimento e divisão das células presentes na planta.

Não vamos entrar a fundo neste assunto, mas as células crescem e se multiplicam com as condições de crescimento adequada, e a disponibilidade de água é um dos requisitos. Dessa forma, no caso da planta, a multiplicação das células condiz com o seu rápido crescimento, folhas verdes, vistosas e caules grossos. Já a falta de água leva a diminuição das células, resultando em plantas fracas, menores e murchas.

Caso você resolva plantar em uma época de estiagem, que não possui alto índice pluviométrico, é importante irrigar a plantação. Do contrário, ocorrerá alto índice de mortalidade das mudas, não obtendo a produtividade esperada.

Quais são as épocas de alta pluviometria?

Você então deve estar se perguntando qual é a época de alta pluviometria. Normalmente é entre os meses de setembro e janeiro, porém pode variar de acordo com a região em que você fará o plantio.

Como dito, a época de maior índice de chuva pode variar de acordo com o local que você se encontra. Assim, apresentamos os índices pluviométricos de acordo com a região no Brasil.

Índices pluviométricos por região:

Norte: a região norte do Brasil é formada por grande parte da Amazônia que é a maior floresta quente úmida do planeta. O total pluviométrico anual excede a 3.000 mm. A exceção é Roraima e a parte leste do Pará, com índices de 1500 a 1700 mm. O período mais chuvoso acontece entre o verão e outono, com exceção de Roraima e norte da Amazônia em que o máximo pluviométrico se dá no inverno.

Nordeste: as precipitações no Nordeste podem chegar a 2.000 mm anuais e em certas regiões mais longe da costa litorânea pode ter um valor inferior a 500 mm. A época de maior índice pluviométrico é de fevereiro a maio, podendo chegar até agosto.

Sul: a média anual de precipitação varia de 1200 a 2000 mm, porém algumas áreas como litoral do Paraná, oeste de Santa Catarina e região de São Francisco de Paula, RS podem ultrapassar 2000 mm. A época de maior pluviosidade é entre outubro e janeiro.

Sudeste: a região é dividida em dois polos de alto índice de chuvas, sendo um polo abrangendo o litoral e a serra do mar com até 3.600 mm de precipitação e o outro polo do oeste de Minas Gerais ao município de Rio de Janeiro atingindo de 1300mm a 2300 mm. A maior parte das chuvas inicia em setembro e o maior índice pluviométrico acontece em janeiro.

Centro-oeste: a pluviometria anual varia entre 1000 mm e 3000 mm no norte do Mato Grosso e 1250 no Pantanal mato-grossense. A maior parte da chuva acontece entre novembro e março. No inverno as chuvas são raras.

Não é só a melhor época que conta.

Além do índice de precipitação da região, é importante se atentar em outros aspectos para obter um plantio de sucesso. Como por exemplo, a qualidade das mudas, a preparação do solo, o planejamento de plantio e desbastes, o monitoramento pós plantio e outros pontos.

Qualidade das mudas: é muito importante que você conheça a procedência das mudas. Todos os processos precisam ter sidos cumpridos com eficiência, desde a germinação da semente até a rustificação.

Preparação do solo: faça com antecedência uma análise química do solo para identificar possíveis necessidades nutricionais presentes. Isso ajudará no desempenho das mudas.

Planejamento do plantio e desbastes: com antecedência, procure planejar todas as etapas do seu plantio e também a época de cada desbaste. Se preciso for, conte com a ajuda de um profissional experiente no plantio de Mogno Africano.

Monitoramento pós-plantio: após o plantio é necessário monitorar e também aplicar toda manutenção necessária na área para que a floresta tenha um bom desempenho.

Então, já identificou qual é a melhor época para plantar de acordo com a sua região? Não esqueça de analisar a sua localização para saber qual espécie é a mais indicada. Lembre-se também que o planejamento vai desde a identificação do local, preparação do solo, plantio e monitoramento pós-plantio. Se você quer saber mais sobre o Mogno Africano, baixe AQUI o raio x da espécie.