Confira os melhores investimentos para 2020

O melhor investimento para 2020

Melhores investimentos para 2020

Como diria a canção de David Nasser e Francisco Alves, “Adeus ano velho. Feliz ano novo, que tudo se realize no ano que vai nascer. Muito dinheiro no bolso…”. Sim! Nós queremos que você tenha muito dinheiro no bolso fazendo os melhores investimentos para 2020. Para isso, neste artigo vamos apresentar alguns investimentos e diremos qual deles é a melhor escolha para começar o ano com o pé direito.

Investimento em Imóveis

O mercado imobiliário voltou a se tornar interessante em 2019 após mostrar os primeiros indícios de retomada do setor. “Vemos uma recuperação do setor desde os últimos meses do ano passado e a melhora deve continuar ao longo deste ano”, afirma José Eduardo Cazarin, fundador e CEO da Axpe Imóveis, em entrevista ao InfoMoney.

Com a taxa de juros mais baixa e o aumento da confiança, as vendas e os aluguéis devem melhorar. Investir em imóveis pode ser uma boa escolha para quem deseja um investimento seguro. Mas é preciso utilizar alguns critérios para garantir um bom retorno. 

Um dos critérios é analisar a localização do imóvel. Há algumas cidades onde a recuperação do setor já está mais consolidada, enquanto em outras o futuro ainda parece incerto. 

No Rio de Janeiro, por exemplo, o preço médio da locação de imóveis residenciais, medido pelo índice FipeZap, tem mostrado quedas desde 2015. Nos últimos 12 meses, até janeiro deste ano, os aluguéis da cidade carioca acumulam uma queda de 3,09%. Já em São Paulo, o mesmo índice registrou quedas entre 2015 e 2016, mas voltou a subir em 2017 e teve uma rentabilidade média de 4,97% nos últimos 12 meses até janeiro de 2019, segundo a InfoMoney. 

Além da localização do imóvel é importante levar em conta os ciclos de alta de juros e crises econômicas no país que refletem no valor do imóvel e dos aluguéis. 

A verdade é que o valor do imóvel depende muito da economia de nosso país e a baixa procura por parte dos compradores tendem a estagnar e desvalorizar os imóveis 

O que avaliamos é que o investimento em imóvel tem crescido, porém ainda muito impreciso a previsão de quanto ele valerá ou se o preço estará praticamente estagnado quando você desejar vendê-lo.

Investimento em Poupança

A poupança é o investimento mais popular devido seu baixo risco e ter alta liquidez*. Qualquer pessoa pode abrir uma conta poupança e o valor para essa abertura varia de acordo com cada banco. Geralmente o valor não costuma ser alto e por isso quase todas as pessoas já tiveram uma poupança alguma vez na vida.

O rendimento da poupança é mensal e é sempre atualizado na data de abertura, o qual chamam de “aniversário”. 

Segundo o Guia de Economia do UOL, as regras de rendimento da poupança mudaram em maio de 2012. Sempre que a Selic (taxa básica de juros) estiver em 8,5% ou menos ao ano, a poupança rende apenas 70% da Selic, mais a TR (Taxa Referencial). 

Mas para os depósitos realizados antes de 3 de maio de 2012, o rendimento continua sendo o antigo, de 0,5% ao mês (ou 6,17% ao ano), mais a variação da TR (Taxa Referencial, calculada e divulgada diariamente pelo Banco Central).

Apesar da poupança ser um investimento de baixo risco, vale lembrar que ele está atrelado à uma eventual falência do banco onde está aplicado o dinheiro.

Caso o banco venha a falir, o Fundo Garantidor de Créditos (FGC) garante ao investidor o valor de até R$ 250 mil. Isso significa que se alguém tem até R$ 50 mil investido irá recuperar tudo. Porém, se a pessoa tiver R$ 300 mil investido, ela perderá R$ 50 mil.

Investimento em Fundos DI

Os Fundos DI também são denominados como Fundos de Renda Fixa Referenciados DI, os quais aplicam no mínimo 95% do patrimônio nos títulos públicos federais do Tesouro Direto (atrelados ao CDI ou Selic) ou em títulos privados de baixo risco.

Esses títulos são pós-fixados e acompanham as oscilações da Taxa SELIC, como ocorre por exemplo no Tesouro Selic (antiga LFT). Os 5% restantes podem ser alocados em títulos que seguem as regras dos Fundos de Curto Prazo, o que é bastante incomum acontecer quando o cenário da economia no país é desafiador, ou seja, inconstante.

Vale lembrar que, mesmo não sendo impossível, é bastante incomum um Fundo DI atingir uma rentabilidade de 100% do CDI, já que as taxas de administração também afetam o resultado. Portanto quem busca alta rentabilidade pode não encontrar nesse tipo de investimento a melhor opção para aplicar seu dinheiro.

A tributação também é uma desvantagem sobre este investimento, pois há incidência do Imposto de Renda sobre os lucros. O pagamento do IR é efetuado no momento do resgate da aplicação e a alíquota segue a tabela regressiva do IR de acordo com o período transcorrido até o resgate do investimento.

Além disso, o InfoMoney fez um levantamento dos fundos DI e de curto prazo que cobram as maiores taxas de administração do mercado. O resultado mostrou algo assustador: mais de 1,2 milhão de brasileiros investe em fundos cujo retorno nos próximos 12 meses será muito menor do que aquilo que o banco cobra em taxas para gerir o fundo. 

Resumindo: o dinheiro é do cliente, mas quem fica com a maior parte do lucro é o banco.

Investimentos em Tesouro Direto 

O Tesouro Direto é um programa criado em 2002 pelo Tesouro Nacional – órgão responsável pela gestão da dívida pública – para permitir que pessoas físicas comprem papéis do governo federal pela Internet. Ou seja, ao comprar um título do Tesouro Direto, o investidor está emprestando dinheiro ao governo.

Qualquer um pode investir por meio de uma plataforma on-line, abrindo uma conta de investimentos em uma corretora. E assim como nos fundos DI o investimento mínimo no Tesouro Direto é mais acessível que em outros investimentos. Para se ter uma ideia, esse investimento permite fazer aplicações com valores muito baixos (a partir de R$ 30) e oferece liquidez diária para todos os papéis.

Engana-se quem acha que Tesouro Direto é apenas para iniciantes e conservadores. Por ser um investimento de baixo risco, ele pode ser um bom instrumento para uma estratégia de diversificação e proteção.

Sobre o rendimento, de acordo com o InfoMoney, o Tesouro Direto de títulos prefixados e os híbridos, se resgatados pelo investidor antes do prazo, podem gerar prejuízo. O motivo é a flutuação diária no preço daquele papel. São vários os fatores que influenciam nesta oscilação.

O principal fator é o preço dos contratos de juros futuros negociados na B3 (antiga Bovespa), que refletem o juro esperado para a data de vencimento do contrato. Simplificando: se na bolsa os investidores acreditam que a Selic em dois anos subirá a 8%, um título do Tesouro já negociado que prevê juro fixo de 6% também em dois anos fica menos interessante e perde valor.

Como dito anteriormente, o Tesouro Direto é um investimento de baixo risco. Mas não quer dizer que não há risco algum. Contudo, levando em considerações outros investimentos, os papéis públicos são bastante seguros. Isso porque o governo brasileiro nunca deixou de pagar os credores do Tesouro Direto.

Por isso que a maior chance de você perder dinheiro com esse investimento é em duas situações: a mais comum é comprar um título prefixado ou indexado à inflação de longo prazo e precisar vender antes da hora. A outra situação é se o resgate for feito em um momento ruim de mercado, o seu papel pode valer menos do que você pagou.

Nos prefixados de mais longo prazo, como o retorno já está definido, mudanças bruscas na economia, como alta inflacionária ou da Selic, também diluem boa parte dos ganhos.

Empreendedorismo

Uma opção de investimento fora do mercado financeiro é o empreendedorismo. Se você quer ser o dono do seu próprio negócio ou tem uma ideia inovadora de um produto ou serviço, o empreendedorismo pode ser um ótimo investimento para 2020.

Você pode iniciar como um Microempreendedor Individual – MEI e evoluir para um segmento maior de empresa. Em outubro de 2019, o país já contava com mais de 9 milhões de Microempreendedores individuais. Exatamente 9.202.873 MEI no dia 31 de outubro, segundo o portal do empreendedor.

A facilidade do processo é o que mais faz os profissionais abrirem sua empresa. Porém lembre-se que onde existe inovação, existem os riscos e para isso o empreendedor precisa olhar para as oportunidades e buscar mitigar os riscos, principalmente os riscos financeiros.

A criação de Startup também tem ganhado espaço no mercado. Para esse empreendedorismo a inovação e a solução de problemas são carros chefes. Segundo a Revista Exame, já em junho de 2019 existiam no mercado mais de 12 mil Startups. Grandes exemplos de Startups no Brasil são empresas como Nubank, PagSeguro e 99. 

Mogno Africano: bom investimento para 2020

Todos os investimentos vistos até agora, apresentam baixo risco, mas algumas vezes seu rendimento ou taxações bancárias não valem a pena. Mas se você quiser ganhar realmente muito dinheiro, esses investimentos não serão a sua solução. 

No caso, o investimento de ativos florestais de Mogno Africano soma os benefícios da renda fixa com a renda variável, baixo risco e alto retorno, ou seja, tudo aquilo que um bom investidor espera.

A vantagem do Mogno Africano comparado com outras espécies de árvores é que, além de ser muito apreciada no mercado nacional e internacional, tem um preço maior por metro cúbico.

O preço médio do metro cúbico da madeira de Mogno Africano processada e seca em estufa do último desbaste e o corte raso foi cotado € 1.050,00 em média, segundo o boletim do The International Tropical Timber Organization (ITTO).

Ademais, em relação aos riscos uma floresta de Mogno Africano comparada com as demais é pequena. As únicas ameaças são a formiga e a matocompetição, mas que podem ser facilmente controladas com uma boa prevenção por meio de manutenções.

Portanto, é perceptível que o investimento em florestas de Mogno Africano é uma boa opção para começar 2020, pois mescla um grande retorno financeiro com segurança e diversificação em suas aplicações financeiras.

Quer saber mais sobre o Mogno Africano? Baixe a nossa planilha gratuita de investimento em Mogno Africano.

*O termo liquidez está relacionado à velocidade e facilidade com que você pode resgatar o dinheiro de um investimento.
**CDI são títulos emitidos por instituições financeiras com o objetivo de transferir recursos entre Instituições que têm reserva e Instituições que necessitam de capital para repor o seu caixa. É a sigla de Certificados de Depósito Interbancário.

Confira mais detalhes do lucro do Mogno Africano no vídeo a seguir: